Thursday 17 January 2019
Home      All news      Contact us      English
diariodigital - 7 days ago

Pepe em entrevista: o cemitério Real Madrid, o golo ao Benfica e o jogo mais difícil da carreira

Pepe concedeu uma entrevista ao Porto Canal onde recordou alguns episódios da sua primeira passagem pelo Dragão. O defesa central falou também do seu tempo no Real Madrid, das primeiras impressões neste seu regresso e do sentimento de ter defrontado o FC Porto esta época.Do Marítimo para o FC Porto e depois Real Madrid: Saí do Marítimo e vim para o FC Porto. Vivia numa ilha e vir para o continente foi uma mudança muito grande. Tive aquele primeiro ano de adaptação em que considero que não fui eu próprio. A equipa também não esteve bem. Mas os meus dois últimos anos foram fantásticos. Esperei pela minha oportunidade, até porque tinha outros grandes centrais como agora. É como no Real Madrid, lá era o cemitério dos centrais. Todos os centrais que chegavam não se conseguiam afirmar. E o FC Porto preparou-me para isso. Fiz lá 10 épocas. Já tinham passado por lá grandes centrais e não conseguiram afirmar-se como eu .Reencontrar Casillas: Muito bom o reencontro com o Iker. Muito feliz porque ele está bem e feliz. Quando cheguei ao Real Madrid falava do FC Porto. Posso ter tido alguma influência na decisão dele de vir para cá... Não sei! Quando cheguei fiz a mesma pergunta que ele me fez quando cheguei ao Real Madrid: sabes falar espanhol? . Eu disse que não. Hoje perguntei-lhe: sabes falar português? . Ele disse: entendo, mas tenho ainda um pouco de vergonha . Então está melhor do que quando cheguei ao Real Madrid [risos]. Foi essa brincadeira que tivemos .Defrontar o FC Porto pelo Besiktas: Foi o jogo mais difícil da minha carreira. Disse isso ao presidente. Este é um clube pelo qual tenho muito carinho no meu coração. Devo muito ao FC Porto. Foi um jogo muito difícil a nível emocional .Porquê voltar ao FC Porto? Deu-se esta possibilidade de fazer parte do FC Porto. Eu estava 100 por cento disponível. O FC Porto disse que sim e a partir daí tudo foi mais fácil. As coisas tratam-se com muita clareza, muita naturalidade. O presidente sabia da minha vontade, havia essa possibilidade de poder voltar. Foi tudo muito simples comigo. Falei com o mister, ele disse que eu ia aumentar o nível de competitividade dentro do plantel. Eu disse que queria competir, independentemente se chego a jogar ou não. Quando há uma competição dentro de um grupo acho que é bom, faz-me ser melhor porque vamos ao nosso limite .Primeiras impressões sobre Conceição: É um treinador super exigente, honesto com os jogadores. Gosto da mentalidade, da forma de ser como treinador. Tem tudo a ver ele e o FC Porto. Tem sangue azul, tem a mística do FC Porto, faz chegar isso aos jogadores. Estou feliz por ser treinar com ele e aprender com ele .O que mudou no Pepe? A diferença é que eu estou muito mais maduro. Mas o sentimento continua a ser o mesmo do que quando cheguei aqui. Um carinho muito grande por esse clube .Último golo pelo FC Porto: O último golo que marquei foi contra o Benfica. Quem cruzou foi o Raul Meireles... Não, foi o Quaresma... Ele vai-me matar [risos]. Foi uma falta, centrou e eu no segundo poste marquei. E fomos campeões .Momento marcante da carreira: O meu primeiro título pelo FC Porto foi muito marcante para mim, mas o que marcou mais foi quando soube que ia assinar pelo FC Porto e vim à Torre das Antas para assinar contrato. Foi bastante marcante. Olhámos pela janela e o presidente disse: olha, ali vai ser a tua casa . É marcante para mim .O FC Porto confirmou na terça-feira o regresso de Pepe ao clube da cidade Invicta, que representou entre 2004 e 2007. O internacional português assinou contrato até junho de 2021.

Related news

Latest News
Hashtags:   

entrevista

 | 

cemitério

 | 

Madrid

 | 

Benfica

 | 

difícil

 | 

carreira

 | 
Most Popular (6 hours)

Most Popular (24 hours)

Most Popular (a week)

Sources